30/06/2016

Salvador: Neojiba e bandas filarmônicas se reúnem no TCA

 

Tradicionais atrações dos desfiles cívicos por toda a Bahia, as filarmônicas são importantes agentes culturais no Estado. Neste domingo, 3 de julho, quatro delas participam de um grande encontro no Teatro Castro Alves. A partir das 14h, bandas filarmônicas das cidades de Itiúba, Cachoeira, Dias D’Ávila e Irará se apresentam na Sala Principal do TCA, seguidas da Banda Sinfônica do Neojiba (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia) e da Banda Sinfônica da Paz; esta última, uma formação musical do Núcleo Bairro da Paz.

As apresentações, com entrada gratuita, comemoram a Independência da Bahia. Pela manhã, instrumentistas das bandas filarmônicas participam de capacitação ministrada por integrantes do Neojiba.

O evento reúne quatro bandas integrantes da Federação das Bandas Filarmônicas da Bahia (Febaf) no principal teatro do estado para um dia de aulas e celebração musical. A Filarmônica 4 de Janeiro (Itiúba), a Filarmônica Minerva Cachoeirana(Cachoeira), a Banda de Música e Filarmônica Guerreiros do Sol (Dias D'Avila) e a Banda Juvenil da Filarmônica 25 de Dezembro (Irará) participam do programa. A iniciativa é promovida pela Febaf e pelo Neojiba, com apoio do Teatro Castro Alves, da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb) – entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) – e Instituto Anísio Teixeira (IAT).

Segundo o presidente da Febaf, Gerry Andrade, a federação foi criada para fortalecer as filarmônicas, para que juntas consigam superar as dificuldades enfrentadas no contexto atual. “As filarmônicas da Bahia são a maior escola de música instrumental do País. Somos cerca de 180 grupos que alcançam aproximadamente 20 mil crianças. Tanto o Neojiba quanto as bandas filarmônicas têm os mesmos objetivos: inclusão social aliada à educação musical. Por isso, acreditamos que essa parceria só vem para somar”, afirma o gestor, também maestro de grupos musicais sediados na região de Irecê, há cerca de 480 km de Salvador.

O evento consagra a aproximação entre o Neojiba e a Febaf. “As Filarmônicas fomentam a prática musical coletiva na Bahia. Queremos aproximar o programa da realidade das bandas filarmônicas e também reafirmar sua importância para o nosso Estado”, afirma Helder Passinho Jr, coordenador de trompetes e idealizador da Banda Sinfônica do Neojiba, que foi constituída especialmente para a ocasião. Setenta músicos do programa participam desta formação musical que se apresenta no domingo no TCA, sendo que 20 deles são oriundos de Filarmônicas sediadas no interior do Estado.

“Este encontro promove uma troca de experiências entre o Neojiba e as bandas filarmônicas. Justamente por estar no âmbito da Rede de Projetos Orquestrais da Bahia, permite que estejamos mais próximos e alinhados com as necessidades desses grupos”, afirma Adriano Cenci, coordenador da Rede, espaço para articulação e colaboração entre o Neojiba e parceiros no interior do Estado.

Rede de Projetos Orquestrais da Bahia

Espaço de articulação e cooperação entre o programa Neojiba e seus parceiros, a Rede de Projetos Orquestras da Bahia foi criada em 2013. O objetivo é atender a uma demanda crescente por apoio pedagógico e orientação para qualificação e criação de projetos musicais existentes no interior do Estado. A Rede está presente em 22 municípios e 13 Territórios de Identidade e atua em parceria com 24 projetos, responsáveis pelo atendimento direto a um público estimado em 1.800 pessoas. Em 2015, passou a integrar a Rede Cultura Viva do Ministério da Cultura.

SERVIÇO

Neojiba & Filarmônicas

Filarmônica 4 de Janeiro (Itiúba)

Filarmônica Minerva Cachoeirana (Cachoeira)

Filarmônica Guerreiros do Sol (Dias D’Avila)

Banda Juvenil da Filarmônica 25 de Dezembro (Irará)

Banda Sinfônica do Neojiba

Banda Sinfônica da Paz (Núcleo Bairro da Paz)

Teatro Castro Alves

Domingo, 3 de julho, às 14h

Entrada Gratuita

Orquestra Sinfônica da Bahia apresenta o concerto 'Madeiras da Osba' no Centro Cultural Plataforma

A música erudita vai ser a grande atração do Subúrbio Ferroviário de Salvador no início de julho, com uma apresentação da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA), no próximo dia 1º de julho, sexta-feira, no Centro Cultural Plataforma (Praça São Braz, s/nº, Plataforma), às 18h. O concerto “Madeiras da OSBA” terá regência do maestro e pianista Eduardo Torres, e o programa reservado ao público pelo naipe das madeiras da orquestra vai destacar três importantes compositores europeus dos séculos XVII e XVIII: os franceses Vincent d’Indy (1851-1931), com a peça Chansons et Dances, e Charles Gounod (1818-1893), com Petite Symphonie, e ainda o austríaco Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791), com a Serenata em dó menor K. 388/384ª. A entrada é gratuita.

A OSBA é um corpo artístico do Teatro Castro Alves mantido pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), através da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb). Seu atual curador artístico e regente titular é o maestro Carlos Prazeres. Criada em 1982, a OSBA consolidou-se, ao longo das últimas três décadas, como um dos mais conceituados conjuntos sinfônicos brasileiros. Na sua vasta trajetória, destacam-se apresentações com grandes estrelas do canto lírico, como Luciano Pavarotti e Montserrat Caballé; companhias de dança como os balés russos Kirov e Bolshoi, e o Ballet da Cidade de Nova Iorque. Maestros e instrumentistas de nível internacional têm se apresentado com a OSBA, a exemplo de Isaac Karabtchevsky, José Collado, Osvaldo Colarusso, Jacques Morelenbaum, Arthur Moreira Lima, Nelson Freire, Maria João Pires, Cristina Ortiz, Ray Lema, Valentina Lisitsa, Gil Shaham e Hélène Grimaud.

SERVIÇO:

ORQUESTRA SINFÔNICA DA BAHIA – CONCERTO “MADEIRAS DA OSBA”

Regência: Eduardo Torres

Local: Centro Cultural Plataforma – Praça São Braz, s/n, Plataforma.

Data: 1º de julho (sexta-feira)

Horário: 18h

ENTRADA GRATUITA

Filmes sobre ditadura chilena e viagem espacial estreiam na Sala Walter

Depois da pausa para os festejos juninos, a Sala Walter da Silveira retoma sua programação regular nesta semana com duas estreias nesta quinta, 30 de junho. Amor e Revolução, dirigido por Florian Gallenberger, com Emma Watson, Daniel Brühl e Michael Nyqvist no elenco; e Rumo à Lua, filme com direção de Antoine Bardou-Jacquet estrelado por Rupert Grint, Ron Perlman e Robert Sheehan, entram em cartaz com sessões, respectivamente, às 15h e às 17h. Os ingressos custam R$ 2. Emma e Rupert se tornaram conhecidos mundialmente no elenco da saga Harry Potter.

Amor e Revolução é ambientado no Chile de 1973. Em meio ao golpe de estado que derrubou o presidente eleito Salvador Allende e possibilitou a ascensão do ditador Augusto Pinochet, as massas estão nas ruas protestando, entre eles um casal alemão, Lena (Emma Watson) e Daniel (Daniel Brühl). Quando o rapaz é levado pela polícia secreta de Pinochet, Lena procura por ele e descobre que seu amado está em um lugar chamado Colonia Dignidad, uma suposta missão de caridade dirigida por um pregador (Michael Nyqvist), só que na verdade é uma prisão de onde ninguém nunca escapou. A fim de encontrar Daniel, a moça decide se juntar ao culto religioso da Colonia.

Rumo à Lua tem ação passada em julho de 1969, quando está para acontecer um grande feito para a humanidade: o homem vai pisar na Lua. Só que há o receio de que a Apollo 11 não consiga pousar, assim, um agente da CIA (Ron Perman) é enviado a Londres para encontrar o cineasta Stanley Kubrick e pedir que ele filme um pouso falso na Lua caso o real falhe. O agente não consegue achar Kubrick mas encontra Jonny (Rupert Grint), um agente fracassado de uma banda de rock hippie. Juntos, eles embarcam na infeliz missão de fazer um filme.

A Sala Walter da Silveira é administrada pela Diretoria do Audiovisual (Dimas) da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBa).

Serviço:

Sala Walter da Silveira/ Programação de 30 de junho a 6 de julho/Estreias

15h - Amor e revolução (Colonia, EUA/ALE/LUX, 2015)

Duração: 110 minutos

Classificação: 14 anos

17h - (Exceto 1º de julho)- Rumo à Lua (Moonwalkers, FRA/EUA, 2015)

Duração: 107 minutos

Classificação: 14 anos

 

 

Fonte: SecultBA/Municipios Baianos

Comentários:

Comentar | Comentários (0)

Nenhum comentário para esta notícia, seja o primeiro a postar!!